Podcast

Olá!
Onde quer que Você esteja, qualquer que seja a hora do dia, ou da noite, em que Você tenha decidido nos dar sua atenção, nossos sinceros agradecimentos! Aqui está o primeiro episódio do nosso podcast Negociando Nos Estados Unidos.

Em 1997, ficamos conhecendo um brasileiro que havia acabado de chegar aos Estados Unidos para “tentar a vida” – segundo suas próprias palavras. Essa pessoa retornou ao Brasil em definitivo, exatamente uma semana depois de se desembarcar no Aeroporto Internacional de Miami.
Em poucos dias, esse senhor – que se nos apresentou como uma autoridade policial de uma cidade do Nordeste – concluiu que, sem conhecer ninguém por aqui, e sem compreender nem o básico do idioma local, a situação para ele seria muito mais difícil do que havia imaginado.
Mesmo assim, ele negociou nos Estados Unidos, ainda que de forma passiva. Usou um taxi e pagou pela corrida, hospedou-se e quitou sua conta, pagou pelas refeições que tomou, comprou umas lembrancinhas da Flórida para levar de volta, etc. – o que prova que mesmo os brasileiros que vieram “só passar uns dias”, acabam negociando nos Estados Unidos.

O objetivo deste podcast é publicar experiências e conhecimentos adquiridos pelos nossos compatriotas que vieram e permaneceram. Daqueles que se estabeleceram e que, graças às circunstancias – ou por causa das circunstancias – decidiram negociar, ativamente, nos Estados Unidos.
Alguns prestam serviços, outros compram e revendem mercadorias. A maioria trabalha para alguém ou alguma companhia, o que também é uma forma de comercialização. Nesse caso, o funcionário está vendendo seu tempo e habilidade por um preço que empregador concorda em pagar.

Dentre os brasileiros que resolveram vir para os “States”, há jovens, gente de meia-idade, e as que já não são tão novas. Algumas dessas pessoas, que decidiram escrever um capítulo novo em suas vidas, saíram do Brasil já como professores, médicos, dentistas, psicólogos, administradores de empresa, engenheiros e outros profissionais liberais. Há também profissionais autônomos, incluindo-se artistas de várias modalidades. Um grande número tem outros níveis de escolaridade e atua nas mais diversas atividades.
Há quem veio da cidade grande, e quem saiu do interior. Enfim, somos de uma ampla variedade, em vários aspectos. Por exemplo, os que chegaram como crianças acompanhando os pais e sem saber o que esperar, os que vieram já adultos, com a meta definida, e os que, simplesmente, se aventuraram, para ver “como é que são as coisas por aqui”.

O fato é que temos muito o que aprender com todos esses brasileiros. Sem exceção, porque cada um tem um caso pra contar. Nosso plano é ouvir a todos os que queiram conversar conosco. Através do podcast, vamos divulgar o que nos apresentarem, em forma de entrevista. Uma história por episódio.

WORD_CLOUD_5As 134 palavras em volta de “empresa”, na imagem acima, refletem pensamentos e ações, que estão sempre na mente do negociante, especialmente do bem-sucedido.
Esse bloco de sugestões é incompleto e dinâmico. Primeiro, não nos cabe definir sua completude. Segundo, porque está sempre mudando, complementando, adicionando, ou removendo conceitos.
Certos termos são mais importantes, dependendo de cada negócio, e do ponto de vista de cada negociante. Outros, nem tanto, pelas mesmas razões.
Apresentamos esta mesma lista às pessoas a quem entrevistamos. As opiniões, observações, e respostas são tão diversas quanto aqueles com quem dialogamos.

Uma vez mais, nossos sinceros agradecimentos. Contamos com sua atenção no próximo episódio. Até lá!

 

{ 0 comments }